quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Quem foi que trouxe o pão?

Cá estou em uma pacata noite de quarta-feira assistindo As Aventuras de Merlin no computador, até que o telefone toca. E continua tocando e tocando e tocando...

Por que diabos minha mãe que está na sala não vai atend... Ah. Lembro que minha mãe está doente. Terrivelmente doente. E talvez o telefone não esteja na sala.

Saio correndo pela casa atrás do dito cujo que pia, e quando finalmente o encontro (tchan tchan tchan tchan), ele para de tocar. Não sei quem foi que ligou até agora.

Mas isso não importa. O que importa é que eu preciso voltar para o computador e pedir para o meu irmão trazer pão. Nós precisamos de pão, então o pão de cada dia nos dai hoje, querido irmão. Não tem pão aqui em casa. Na verdade, ultimamente não tem muita coisa aqui em casa.

Meu irmão precisa estudar, não trará o pão. E agora, José? Minha mãe disse que morrerá se não comer pão. Que faremos nós em situação tão delicada?

Então, para completar a festa, a campainha toca. Tem um homem estranho lá fora com uma sacola. Decido ignorar. Afinal, não te conheço, ó criatura.

A campainha continua tocando, e eu abro.
-Boa noite - digo.
E o porteiro novato vem e me estende uma sacola da padaria.
-Não é pra cá, não - replico com segurança. Ninguém pediu pão. Se tivesse, eu não estaria escrevendo isso agora.
-O rapaz veio e entregou. Aqui é o apartamento tal, certo?
-É sim. Mas... que rapaz?

O porteiro não sabia nem queria explicar. Foi embora. Me deixou com uma sacola suspeita de pão na mão. Encaro seu conteúdo. De onde vieste, objeto das profundezas?

-MÃE?! - grito pela casa. -Pediu pão por delivery? Existe isso?
-Não - ela responde. - Não foi o Carlinhos que entregou?
-Eu tô falando com o Carlinhos pelo MSN... Ele tá em casa estudando.

Mas ela não parecia se importar. O importante mesmo era que agora ela tinha seu pão e não tirava os olhos dele. Seu precioso.

Lembrei do telefonema misterioso. Seria ele o responsável pela entrega do pão? Se eu ao menos pudesse ver quem havia ligado...

Escrevo apressadamente essas palavras para fazer uma pergunta de natureza EXTREMAMENTE séria para todos que estiverem lendo neste momento... Foi você que trouxe pão aqui pra casa?

Se foi, muito obrigada. Você literalmente salvou uma vida.

Agora, se você roubou os pães da casa do seu João, criatura astuta da noite, SAIBA QUE TODOS estão atrás de você há um TEMPÃO. Principalmente as crianças cantando em rodas de brincadeiras. Um dia a sua identidade será revelada...

Enquanto isso, eu fico aqui comendo meu sanduíche de mortadela.

História baseada em fatos reais. Todos os fatos foram reais.






OBS (1 hora depois de escrito): Meu pai que trouxe o pão pra cá. Agora, como ele ficou sabendo que nós precisávamos, isso eu ainda não sei...

Mais mistéééérios da meia-noite.

2 comentários:

▄▀IpInforMundo▀▄ disse...

loko esse fato!!..curioso..haha...

Opa e ai..o Blog ta atualizado..da uma passadinha lá se nao for pedir muito...Abraço..sucesso

www.ipinformundo.blogspot.com

Anônimo disse...

Oi Ana Karla eh o Henrique, me amarrei na historia do pao! =p