segunda-feira, 25 de julho de 2011

Miss Barata

Você, brasileiro bem informado que é, logicamente ficou sabendo do concurso Miss Brasil 2011, que aconteceu no sábado, dia 23.

E esta história a seguir é real, tão real quanto eu acho que ela foi, adaptada para crônica neste blog.

Baratas são seres maléficos.

***

Desisto de ficar no computador. As costas doem e não tem mais nada útil para fazer. Decido fazer algo mais divertido, como ir na geladeira comer um Bis.

Muitas TVs da casa estão ligadas na Band, e eu resolvi acompanhar o final do concurso de Miss, como sempre fiz em toda a minha vida.

Achei tudo muito engraçado, porque enquanto as mocinhas brasileiras passeavam com aquele corpinho pela passarela, todas encolhidas e andando feito pomba, eu estava lá na minha cozinha, toda descabelada, porém muito mais feliz - comendo chocolate.

Enquanto eu indagava com meus próprios botões "Ó Merlin, não existia mulher mais bonita na Bahia, não?", ouço barulhinhos esganiçados vindos do quarto da minha mãe. Logo, os barulhinhos viraram gritos desesperados, que consistiam basicamente em "ANA KARLA, SOCOOORRO! ANA KARLA, ME AJUDA!". Aí vocês sabem o que eu fiz??

Continuei mordendo meu Bis.

De repente, pude escutar alguém pisando loucamente pelo apartamento em direção à cozinha, com um TUC TUC TUC assustador que quase fez o papel do meu Bis cair no chão. Enquanto isso, na TV, momento tenso. Só sobravam 5 canditadas, e uma delas logo seria coroada a Miss Brasil 2011. Uma delas ainda poderia (HAHAHAHAHAHA) ser a nossa amazonense, que não era uma visão feia de se olhar.

Mamãe, completamente aterrorizada, adentra a cozinha em um pulo e sobe na mesa, me entregando aqueles sprays de veneno, e dizendo como se fosse a coisa mais lógica no mundo:

-Tem uma barata no meu quarto.
-E o Kiko?
-Você tá indo lá matar. Toma.

E, num piscar e olhos, eu estava presa no quarto da minha mãe, com uma arma nas mãos, lutando contra um inimigo de localização desconhecida. HÁ, nada é páreo para o meu super-ultra-mega-power...

-JESUS-MARIA-JOSÉ, ISSO NÃO É UM INSETO, É UM MONSTRO! VOOOOOLTA PRO MAR, OFERENDA!

Saí correndo loucamente para a cozinha de novo.

-Mãe, a barata é mutante.
-E ela voa.
-VOA?
-Só taca veneno nela até morrer. Volta lá.

E eu voltei para o quarto, corajosa. Vi a baratinha paradinha perto do armário, mas ela parece ter decidido que o tapete era um lugar melhor para ficar, e estava seguindo feliz para lá, quando de repente... ESTAVA QUASE NA HORA, OH CÉUS! QUEM SERÁ? SERÁ A DO RIO GRANDE DO SUL?

Mas lembrei da minha missão. Com o dedo no gatilho, exclamei "MOOOOOOOOOOOORRE, DIABO", enquanto espirrava sem piedade todo o conteúdo da garrafinha na barata malvada.

"ISTO NÃO É POSSÍVEL", eu pensava. "EU MORO NO 11 ANDAR". Mas, enfim, a baratinha estava morrendo, e eu só parei de jogar veneno quando a última perninha dela parou de tremer.

Ganhei.

"RIO GRANDE DO SUUUUUUUL!!!", exclama a moça. "NOVA MISS BRASIL!!!".

Olho para mim, e olho para ela com seu cabelo impecável, rosto de princesa, corpo de sereia e intelecto de jabuti. Olho para mim novamente com meus óculos cheios de borrifos de veneno, meu pijama largo e feliz, meu cabelo desalinhado e minha coragem que vai além do ordinário, e penso "Isso sim que é mulher".


Um comentário:

Nós XD disse...

Fantástico. Adorei seu jeito de escrever ^^